Henrique Cazes

Tárik de Souza

Jornalista e crítico musical

Supersônicas

Alba Maria ilumina outra cena paraense em “Simplesmente Vital”
por Tárik de Souza

terça, 14 de novembro de 2017

Compositor paraense revelado ao sudeste a partir de sua parceria com o agitador cultural Hermínio Bello de Carvalho, nos anos 70, Vital Lima ganha um abrangente songbook de sua conterrânea, a cantora Alba Maria.

Gravado ao vivo no Teatro Waldemar Henrique (o patrono da música nortista), em dezembro de 2013, o CD/DVD Simplesmente Vital (Na Music) revisita várias fases e parceiros do celebrado. Com Hermínio há “Pastores da noite’, “Igual ao que não foi”, “Tramelas” (com Diego Santos, violão 7 cordas e Marcelo Ramos, bandolim) e “Tal qual eu sou”, com participação do próprio Vital, que também atua em “O parkour”, com Olivar Barreto. Também há parcerias com Leandro Dias, “Uma Bem-te-vi” (com intervenção de Paulo José Campos de Melo e trecho de “Balaio”, outra com Hermínio) e “Pedras de Lioz”, um de seus temas mais conhecidos, acrescido de um trecho de “Mar memória” (com Felipe Cordeiro). Arthur Nogueira é o co-autor de “3h05”, adornado por um trecho do poema “La chat”, do livro “Les fleurs du mal”, de Charles Baudelaire.


Nascida numa família de músicos , formada em letras e artes na Itália, onde venceu por dois anos consecutivos o festival Musicanta, de Trieste, e foi segunda colocada num certame da RAI (Radio e Televisão Italiana), Alba Maria mergulha com fôlego nessa atmosfera de alta densidade poética. Com um longo percurso em palcos europeus (além da parceria autoral com o francês Philippe Ferrie), ela ilumina a obra ainda pouco difundida do lírico e intenso autor de “Amor de lua”, “Mundano”, “Leopardo”, “Precisava ver” e “Três casas e um rio”, com Marcelo Sirotheau, outro convocado da homenagem.


Comentários

Tem uma sugestão de pauta?