Henrique Cazes

Tárik de Souza

Jornalista e crítico musical

Supersônicas

Cia Treme Terra de Música e Dança Contemporânea
Lança o disco Terreiro Urbano

segunda, 17 de abril de 2017

A Cia Treme Terra de Música e Dança Contemporânea, fruto inicial das atividades sócio culturais promovidas no Morro do Querosene, zona Oeste de SP, celebra dez anos de atividades com o disco “Terreiro urbano” (Independente), direção musical de João Nascimento e Firmino Pitanga

A criação coletiva do grupo é inspirada na mitologia dos orixás, baseada na representação simbólica de um xirê. Trata-se de cerimônia tradicional de saudação e exaltação de todos os orixás, seqüência de danças do candomblé que começa com Exu e finaliza em Oxalá

São treze faixas autorais e de domínio público e tem participações de Z’Africa Brasil no rapeado “Machado de Xangô”, enquanto Lirinha (ex-Cordel do Fogo Encantado) dramatiza “Xingu Odé”, Dinho Nascimento singra o oratório “Ponto de Obaluaiê” e Adriana Moreira é a voz convidada de “Ponto de Iemanjá” e “Ponto de Exu”

Algumas em iorubá, as canções são acompanhadas dos toques específicos dos orixás (ijexá, congo, barravento, alujá, bata, ilú, adarrun), em percussões tradicionais (atabaque, agogô, xequerê, adjá, berimbau, surdos) ou sucatas (tonéis de lata, conduítes, ferros e garrafas), instrumentos convencionais (flauta, guitarra, contrabaixo) e eletrônicos (processadores digitais). 

Os arranjos mesclam a tradição dos terreiros e a música moderna urbana. Em 2013, o grupo se apresentou na Europa e circulou por diversos palcos, na Alemanha e Bulgária, no programa Kinder Kultur Karawane. 

<!--EndFragment-->



Comentários

Tem uma sugestão de pauta?