Henrique Cazes

Tárik de Souza

Jornalista e crítico musical

Supersônicas

O mapa da mina do Manual do choro de Reco do Bandolim e Dudu Maia
por Tárik de Souza

quarta, 11 de outubro de 2017

Idealizado pelo músico Henrique Lima Santos Neto, o Reco do Bandolim, em parceria com Eduardo Maia Venturini, o Dudu Maia, o alentado e bilíngüe “Manual do choro” disseca tecnicamente o gênero instrumental básico da MPB. Em edição da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, fundada em 1998, em Brasília, o projeto se inspira na obra de cinco luminares do ramo, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Garoto e Radamés Gnattali.

“Certas coincidências nas soluções musicais encontradas nas obras (destes criadores) desenham o perfil da alma musical brasileira. A ideia do método é revelar este “mapa da mina” e “funcionar como facilitador do acesso à linguagem extraordinariamente rica e instigante do choro”, definem os autores.


http://bit.ly/2hBDc8H

O Manual traz noções de harmonia e percepção harmônica, ritmo, condução de baixos e baixarias, interpretação, fraseado e ornamentação. E mais, estudos sobre a forma do choro e seu vocabulário e estrutura harmônica. Formado em licenciatura de música pela Universidade de Brasília, Henrique Neto, já tocou com Sivuca, Hamilton de Holanda, Hermeto Pascoal e Paulinho da Viola, entre outros, e é responsável pelo violão 7 cordas do grupo, que fornece o áudio com playalongs e registros inéditos de choros clássicos e autorais do CD acoplado ao livro.

O bandolinista é Dudu Maia, de atuações no exterior com Anat Cohen, Mike Marshall e no Brasil com Zélia Duncan e Dominguinhos, une-se a Pedro Vasconcellos (cavaquinho), Sergio Morais (flauta) e Valério Xavier (pandeiro e percussão). O quinteto singra de Anacleto de Medeiros (“O boêmio”) e Ernesto Nazareth (“Apanhei-te cavaquinho), a Joaquim Callado (“Flor amorosa”), Pixinguinha (Naquele tempo”, “Segura ele”, “Cochichando”), Garoto (“Lamentos do morro”), João Pernambuco (“Graúna”), Chiquinha Gonzaga (“O corta-jaca”), Tom Jobim (“Chega de saudade”), Jacob do Bandolim (“Vibrações”, “Assanhado”, “Noites cariocas”) e as autorais “Bate-pronto” (Henrique Neto) e “Engole o choro” (Dudu Maia). 


Fonte da Imagem: http://bit.ly/2wNzf7b 


Comentários

Tem uma sugestão de pauta?