Henrique Cazes

Tárik de Souza

Jornalista e crítico musical

Supersônicas

Xande de Pilares em CD autobiográfico
por Tárik de Souza

sexta, 14 de julho de 2017

Ex-lider do grupo Revelação, no fio da navalha entre o samba de raiz e o pagode pop, Alexandre Silva de Assis, o Xande de Pilares (criador dos sucessos “Samba de arerê”, “Coração radiante”, “Bola pra frente”, “Tá escrito”), revisa sua história no autobiográfico “Esse menino sou eu” (Universal).

Produzido por Prateado, um dos compositores das 17 faixas (sete inéditas do solista), o CD convoca até a mãe do compositor e cantor nascido no morro do Turano, na Tijuca, no Rio, mas revelado no subúrbio de Pilares. Dona Maura Helena participa de “Mãe”, onde o filho exalta a seresteira que abriu mão da vida artística para cuidar da família. Zeca Pagodinho dialoga no partido “Homem de lata” (Fred Camacho/ Cassiano Andrade/Rick Oliveira/Thiago Thomé) e Jorge Aragão, além da parceria autoral, dueta com Xande em “A lã e o cobertor”.

No roteiro de afetividades que norteou a escolha do repertório entra ainda “Alegre menina” (Dori Caymmi/Jorge Amado), da primeira trilha sonora da novela “Gabriela”, registrada por Djavan ao hit de Benito de Paula “Ah! Como eu amei” (Jota Velloso/Ney Velloso) e o inspirador “Cavaco vadio” (Paulinho Rezende/Totonho/ Osmar Santos) sobre o instrumento que elegeu.

Quando estava começando, meu maior medo era ir a uma roda, alguém pedir o tom e eu não saber acompanhar. Queria tocar sem precisar olhar o cavaquinho. Para treinar, eu ficava treinando no quarto de luz apagada”, rebobina ele no texto de apresentação.

“Eu sou de Jorge”, com participação do co-autor André Renato (com Leandro Fab) evoca o santo padroeiro do cantor que se define na faixa título, em parceria com Helinho do Salgueiro e Gilson Bernini: “Aquele menino sonhou/ com a vida de compositor/ criado naquele lugar/ que sente orgulho de lá”. 

Comentários

Tem uma sugestão de pauta?