Cultura

Nos 70 anos do Maracanã, relembramos artistas nacionais que se apresentaram no estádio

terça, 16 de junho de 2020

Compartilhar:

O Estádio Jornalista Mário Filho  - o Maracanã - foi inaugurado no dia 16 de junho de 1950, ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo pela primeira vez. Situado na Zona Norte do Rio de Janeiro, tornou-se um dos estádios mais associados ao espírito brasileiro. De lá pra cá, foi o palco de lances e desfechos esportivos históricos. Alguns  memoráveis, outros dolorosos de lembrar. 

O fato é que, sorrindo ou chorando, o Maracanã agora já pode dizer que viveu 70 anos de emoção. E não só no futebol! Em diversas ocasiões, o estádio abrigou fãs apaixonados e hospedou shows de Frank Sinatra, Tina Turner, Madonna e muitos outros. 

Nessa história, a música brasileira também teve o seu lugar - e de destaque!  A seguir, relembramos alguns artistas nacionais que enfrentaram a multidão do Maracanã com shows inesquecíveis. 

As Frenéticas 

A “Chegada do Papai Noel” foi um evento organizado pelo jornal O Globo em parceria com a Coca-Cola, que promovia, todo final de ano, uma apoteótica chegada do bom velhinho a espetáculos natalinos de tirar o fôlego. 

Uma das edições mais memoráveis aconteceu em 1978 no Maracanã. Um público de 250 mil pessoas assistiu extasiado atrações como Os Trapalhões e o elenco da série Sítio do Picapau Amarelo, que estreara um ano antes na TV Globo. 

Mas a sensação da noite foi a apresentação das Frenéticas, então no auge do sucesso. Dois anos antes do show de Frank Sinatra (considerado o pioneiro no estádio), elas colocaram o Maracanã a baixo e enrubesceram as faces de Papai Noel com seus figurinos ousados e hits libertários, como “Perigosa” (eu sei que eu sou bonita e gosta…) e “Dancig Days” (abra suas asas, solte suas feras…). 

Foto: Acervo O Globo

Xuxa

Pouco mais de dez anos depois, aconteceu outra edição histórica da “Chegada do Papai Noel”. Dessa vez, quem roubou a cena do vovô do Polo Norte foi Xuxa, então um recente fenômeno entre as crianças.

A Rainha dos Bixinhos comandou a festa em dezembro de 1989 em show televisionado pela Rede Globo e desfilou seus clássicos do momento, cantados em coro pelos presentes. 

Foto: Acervo da artista

Rock in Rio II

Entre 18 e 26  de janeiro de 1991, o Maracanã sediou a segunda edição do Rock in Rio, que em 1985 aconteceu na Cidade do Rock. O piso do estádio foi adaptado para receber cerca de 700 mil pessoas nos 9 dias do evento. 

Além das atrações estrangeiras, o festival também sediou shows dos mais diversos artistas nacionais. Pepeu Gomes, Elba Ramalho, Titãs, Roupa Nova e Serguei foram alguns dos brasileiros que se apresentaram por lá. 

Foto: Acervo Veja Rio 

Rita Lee e Barão Vermelho 

A sexta edição do Hollywood Rock, que trouxe os Rolling Stones e a banda Spin Doctors, se dividiu entre o Estádio do Pacaembu, em São Paulo, e o Maracanã, no Rio de Janeiro, nos dias 2 e 4 de fevereiro de 1995. 

Os artistas nacionais escolhidos para acompanhar esses dois nomes de peso do rock internacional não poderiam ter sido mais apropriados: Barão Vermelho e Rita Lee. E eles não ficaram atrás dos gringos. 

O show de Rita Lee, inclusive, se tornou uma das passagens mais emblemáticas de sua carreira. O figurino já causava espanto: um macacão anatômico na cor de sua pele, cheio de desenhos que davam a impressão de que ela estava nua, coberta apenas por uma enorme tatuagem.

Em determinado momento do show, antes de cantar “Todas as mulheres do mundo”, ela se vestiu de Nossa Senhora Aparecida e rezou a Ave Maria. Em seguida, enquanto cantava "Miss Brasil 2000", fez o público delirar com um truque que fazia desde os anos 1980. Uma modelo entrou envolta por um manto monárquico e quando o abriu na frente do palco, estava totalmente nua. 

Resultado: após o show, a Arquidiocese do Rio de Janeiro divulgou uma nota em protesto à profanação encenada por Rita Lee no palco armado no Maracanã.

Foto: Acervo da artista

Sandy e Junior

Em 2002, o Maracanã já tinha no currículo shows inenarráveis de lendas da música mundial. Mas eram poucos os brasileiros que tinham feito um show solo no local, fora de eventos ou festivais. 

O pioneirismo ficou por conta de outro fenômeno do público infantil: a dupla Sandy & Junior. Em outubro daquele ano, os dois irmãos reuniram uma plateia de 70 mil espectadores e ali fizeram o registro histórico do CD e DVD “Ao Vivo no Maracanã”, o primeiro trabalho gravado ao vivo no estádio. 

Foto: Guilherme Pinto

Ivete Sangalo

Poucos anos depois, Ivete Sangalo também fez história sobre o gramado do Maracanã. No dia 16 de dezembro de 2006, se apresentou para mais de 50 mil pessoas na gravação do projeto Multishow Ao Vivo

No palco, desfilou grandes sucessos, como “Abalou”, “Sorte Grande” e “Flor do Reggae” e recebeu diversos convidados especiais, como Alejandro Sans, Samuel Rosa e Buchecha

O CD e DVD “Multishow Ao Vivo - Ivete No Maracanã” foi lançado em 2007 e se tornou líder mundial de vendas, com 800 mil cópias. É até hoje um dos trabalhos mais amados pelos fãs da discografia da cantora. 

Foto: Acervo O Globo

Roberto Carlos 

É claro que um dos cantores mais populares do Brasil não poderia ficar de fora dessa lista. Em julho de 2009, em uma festa de celebração pelos seus 50 anos de carreira, Roberto Carlos se apresentou no Maracanã com um show que foi televisionado pela TV Globo. 

Entre anônimos e famosos, mais de 60 mil pessoas viram o Rei chegando no palco dirigindo um calhambeque para em seguida cantar “Emoções”. O cantor chegou a confessar ao público que aquele era o momento mais emocionante de toda a sua carreira.