Música

Leo Fressato vai do rock ao carimbó no bem-humorado e sentimental 'Louco e Divertido'
Segundo álbum do artista está disponível em todas as plataformas de música digital

sábado, 10 de agosto de 2019

Compartilhar:

O rock, a bossa, o pop e carimbó se misturam em canções sobre amores e desamores no novo álbum do cantor e compositor Leo Fressato. “Louco e Divertido”, como seu nome adianta, traz um clima de ironia e bom-humor para falar de amores melodramáticos, relações decadentes e sexualidade com orgulho. O álbum está disponível em todos os principais serviços de streaming de música.

Ouça agora “Louco e Divertido” (clique aqui)!


Faixa-a-Faixa abaixo:

“Em meio a um caos político e ideológico, me peguei diante da questão: ‘Por que escrever sobre amor num país onde acontece tanta atrocidade, preconceito, violência, tanto desmatamento, descaso, genocídio?’. Aí me dei conta de que, se meu corpo é político, minha canção de amor também é”, conta Fressato.

Com mais de 15 anos de carreira, o cantor e compositor brasiliense de nascença e curitibano de coração é um artista prolífico, marcado por canções que tratam de amor ou de sua ausência. Transformando sentimentos íntimos em performance, Leo Fressato ganhou notoriedade nacional com o hit “Oração”, d’A Banda Mais Bonita da Cidade, e com a faixa “Coisa Linda”, uma parceria com Tiago Iorc.

Em 2013, lançou “Canções para o Inverno Passar Depressa”, com produção musical de Jérôme Gras, um álbum que trazia melodiosidade, romantismo e rancor. Esse espírito está presente no novo disco, que se utiliza de leveza para celebrar o amor (como na faixa-título), uma inaptidão ao mundo moderno (“Eu Toco Violão Porque Não Sei Apertar Botão”) e os términos (“Adeus”).

“O diferencial desse trabalho é que um disco que, apesar de tratar de amor, traz uma multiplicidade de gêneros musicais e começa a trazer alguns temas, delicadamente sobre sexualidade, com mais profundidade na discussão”, explica Fressato.

“Louco e Divertido” também se debruça sobre o papel do masculino na sociedade atual (na faixa em espanhol “Los Hombres Pueden Llorar” e em “Mágoa-Palco”) e aborda a sexualidade e o amor em tempos difíceis (como em “Menino água-viva”, “Só queria te dizer” e “Vou te levar no carimbó”).

“Mais que nunca, nosso amor estará nas ruas, fora dos armários. E vamos amar mesmo que o mundo esteja tentando sufocar. Pois nosso amor estará ao vivo e a cores por aí”, afirma ele.

Fecha o disco a faixa “Sobre Canecas e chá”, já conhecida do público, em uma versão explosiva que traz do que o artista chama de MPB progressiva para mostrar que, ao mesmo tempo que Leo Fressato é feito de flores, ele tem veias saltadas no pescoço. O disco está disponível em todas as plataformas de música digital e conta também com lyric videos em libras. A produção musical é de Jérôme Gras e Ian Fonseca.

Assista aos lyric videos com tradução em libras (clique aqui)!