Supersônicas

O “Garimpo” repleto de parcerias, de João Cavalcanti e Marcelo Caldi

quinta, 10 de maio de 2018

Compartilhar:

Ex-Casuarina, João Cavalcanti, filho do compositor Lenine, segue solo e bem acompanhado. Garimpo (Som Livre/MP,B) foi gravado de julho a agosto de 2017, em duo com o acordeonista e pianista Marcelo Caldi, repleto de parcerias e com o convidado português Antonio Zambujo. Ele mandou de Lisboa sua intervenção em “A causa e o pó”, que João fez com o pai, Lenine. Com Zé Renato, João perpetrou “Domingos”, homenagem a Dominguinhos (1941-2013), que alcançou o mestre sanfoneiro ainda vivo. Sua influencia ecoa em “SerCidade”, xote sobre o fluxo migratório dos nordestinos para o sudeste, parceria de João e Caldi. Eles também são autores de “Bem melhor”, sobre amor e separação.

O solista cruzou a fronteira, ao dividir com o uruguaio Jorge Drexler a autoria de “Consumido” (“no hay artista consumado/ que no haya sido consumido”). Se esta fala do desgaste da vida do artista, “Individua”, parceria com o carioca Pedro Luís, “descreve a busca do autor pela palavra perfeita, sua musa idealizada”. Ela vai se materializar na figura edênica de Camila Pitanga, que estrelará o clipe da música, sob direção de Alexandre Nero. A propósito, na ala feminina do disco, João Cavalcanti assina com Joyce Moreno a toada sobre a passagem do tempo, “Dia lindo”. E o tema de “O nego e eu”, só de João, foi sugerido pela cantora e autora potiguar Roberta Sá.

“Ela me pediu uma música e me soprou o assunto, começando a construir o personagem para mim. Uma das coisas que mais gosto de fazer é desenvolver um assunto proposto e criar uma forma- por menos formal que seja – para transformar esse assunto em canção”, admite João, no texto de apresentação do disco.

Também do exterior, de Paris, França, onde ambos residem, foram enviadas mais duas participações do disco: a do percussionista cubano Inor Sotolongo, em “Não sós” (só de João), e do cavaquinista paulista Fernando Papa, em “Serpentina” (Marcelo Caldi/Edu Krieger), a única sem a autoria de João. Dele, com a violonista e cantora Antonia Adnet, é a faixa título, enquanto com o pai dela, Mario Adnet, João fez a heterodoxa “Valsa do baque virado”, já registrada pelo conjunto vocal MPB-4. Ainda entram no repertório - que sublinha a densidade da obra já alentada do solista - parcerias inaugurais de João com o violonista Claudio Jorge (“Pêndulo”) e com Tiê e Plínio Profeta (“Na varanda”).

“Ao debruçar-se sobre letras tão distintas quanto ‘Pêndulo’, um tratado filosófico empírico sobre a gravidade e seus múltiplos sentidos, e ‘Na varanda’, a descrição bem objetiva de uma pausa a dois, você pode não notar a interligação. Para falar sobre a contradição física contida em ‘Pêndulo’ é preciso o tempo de observação contemplativa de ‘Na varanda’. É tudo uma coisa só, sendo tudo diferente”, sofisma João.

Neste sábado, 12 de maio, Joyce Moreno e Roberta Sá participam no Blue Note Rio, na Lagoa, da série de shows de lançamento de “Garimpo”, ao lado do solista.


SERVIÇOS:
Evento: João Cavalcanti e Marcelo Caldi em lançamento de disco “Garimpo”.
Local: Blue Note Rio.
Endereço: Av. Borges de Medeiros, 1424, Lagoa – RJ.
Data: sábado, 12 de maio de 2018.
Horário: 22:30h.
Classificação: 18 anos.
PARA COMPRAR O INGRESSO CLIQUE AQUI!


Fonte da imagem: Capa do álbum 'Garimpo', de João Cavalcanti e Marcelo Caldi (Foto: Flora Pimentel)


Comentários

Divulgue seu lançamento