Música

Rubel participa do segundo single de MACRO
"Na Contramão", gravado em dueto com Pedro Luís, está disponível nos aplicativos de música e em clipe, dirigido por Batman Zavareze

segunda, 18 de novembro de 2019

Compartilhar:

Ele surpreendeu a todos que estavam envolvidos no processo de imersão do MACRO. Provocado a desempenhar diversas funções, não se fez de rogado: cantou, tocou, atuou. Ouviu e aceitou as referências sugeridas, captou e absorveu a seu jeito. Assim foi a participação de Rubel na construção de "Na Contramão", canção de Pedro Luís composta em parceria com Roberta Sá e Vanessa da Mata que chega aos aplicativos de música, com distribuição da Deck, e em clipe dirigido pelo artista visual Batman Zavareze

Ouça agora o single "Na Contramão" (clique aqui)!


O single faz parte do álbum "Macro", um dos frutos do projeto de Pedro Luís com Batman Zavareze.

"Conseguimos mergulhar um mês em uma imersão, construindo música e imagem, e reunindo artistas que admiramos profundamente", explica o artista visual sobre a ocupação do Lab Oi Futuro junto com algumas participações especiais.

A conclusão do trabalho comandado pela dupla vai ser exibida ao público em um show-experiência no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro, em 20 de novembro, mesmo dia em que o vinil completo estará disponível. Antes, no entanto, as 13 faixas do álbum vão ser liberadas digitalmente, no dia 8 de novembro (a primeira música, "Pregos na Garganta", com Ney Matogrosso, saiu dia 10 de outubro). 


"Rubel é representante de uma geração de novos bardos, dessa era pós-tudo. Seja numa formação mínima ou em suas apresentações mais estruturadas, a força de seu autêntico personagem está em seu composto voz-violão, interface com sua poética de cinema caleidoscópico. Vai dizendo assim suas histórias, com aparente descompromisso - e conquistando plateias cada vez mais numerosas", conta Pedro Luís, que destaca a importância de Rubel para o resultado final da música:

"Tê-lo comigo defendendo 'Na Contramão', essa canção de sotaque ultra-pop, fez todo o sentido: ele nasceu nesse território", justifica.


Voz, piano, guitarra e violão foram os instrumentos utilizados por Rubel na construção da canção. Pedro, além de também cantar, assumiu violão, metrônomo e sampler. A gravação, feita por Alex Miranda no estúdio Lab Oi Futuro, teve ainda as participações do produtor musical do projeto, Yuri Queiroga (bateria, baixo, banjo e sampler), Batman Zavareze (sino) e de Felipe Pacheco Ventura (violinos e arranjo de cordas).