Música

Supercolisor lança clipe 'Pardal' com participação da pintora chilena MaPa

sábado, 19 de dezembro de 2020

Compartilhar:

Como capítulos de uma história, a banda Supercolisor revela a última parte do arco narrativo de seu terceiro álbum, “Viagem ao Fim da Noite”. Em “Pardal”, os músicos alçam novos voos ao aprofundar suas referências do cancioneiro brasileiro. Já o clipe vai mais longe: conta com participação especial da artista plástica chilena María Paz Gutiérrez, ou MaPa, com direção de Alberto Whyte.

Confira o clipe logo abaixo: 


O lançamento dá prosseguimento ao filme-poema “Torto”, concebido e realizado pela artista visual argentina Joana Vento. A nova faixa prepara o terreno para “Viagem ao Fim da Noite” e se tornou uma das mais emblemáticas da formação atual da banda, além de ser uma das responsáveis pelo trabalho colaborativo que culminou no álbum. “Pardal” escancara a paixão dos integrantes pela canção brasileira, com poética doce porém rica de tensões existenciais. O pássaro do título foi mais que mera inspiração.

“Transformamos o canto do pardal em uma melodia pop, e sobrepusemos um assovio pegajoso a esta valsa romântica e ensolarada, narrando em metáforas a aventura de um voo que, com sorte, entrega o ouvinte, como um pássaro, de volta ao amor leve e simples”, descreve o vocalista, pianista e compositor Ian Fonseca.

O grupo sempre se animou com o potencial de integração da sua música com outras linguagens artísticas. Supercolisor realiza aqui uma imersão cinematográfica no processo de uma pintora - a chilena María Paz Gutiérrez, MaPa - que, durante uma tarde, tenta dar vida à ave-tema do seu trabalho. A perspectiva point-of-view sugere um observador-telespectador que acompanha com entusiasmo as dores e alegrias do processo de criação.

Foto: Reprodução

“Adorei fazer esse clipe com o Supercolisor! As coisas foram se desenvolvendo de forma natural e improvisada no dia, e terminaram num resultado lindo. Amei a experiência também porque aproveitei pra testar novas técnicas de pintura, já que eles me deram toda a liberdade pra experimentar criativamente com isso”, revela a artista.

“Além do prazer da música em si, o processo de fazer este disco foi também um passo em direção a encontros incríveis com outros artistas, ampliando as perspectivas de todos os envolvidos na forma de interpretar as mensagens sugeridas pela música. Ficamos encantados com esse resultado rico e colorido que nos trouxe a MaPa, e que nos parece ser um veículo apropriado para aquela que talvez seja a canção mais universalmente pop deste repertório”, acrescenta o baixista e produtor musical Jérôme Gras. Além dele e de Ian, o grupo conta com Henrique Meyer (guitarra) e Natan Fonseca (bateria).