Supersônicas

The Bombers revisitam Mestre Jonas e unem rock e xaxado
por Tárik de Souza

sexta, 29 de setembro de 2017

Compartilhar:

Quarto álbum de estúdio da banda santista The Bombers, formada em 1995, Embracing the Sun (Hearts Bleed Blue), produzido por Gustavo do Vale, altera a direção estética escolhida pelo grupo, que só cantava em inglês no anterior “All about Love”.

Além dos habituais petardos roqueiros fumegantes (“Dancing outta steps”, “Sunset criminals”, “I feel so good”, “Passive/agressive”, “Get along”), em “Exodus”, uma inesperada intervenção de zabumba (Zé Pitoco) e sanfona (Olívio Souza Filho) remete ao xaxado nordestino. Na turbulenta “Que pasa?” guitarras costuram um rap alucinado (“dinheiro move tudo ao meu redor/ e eu no olho do furacão aonde não existe/ alteração de ideologia”). Também em português é o rockão “Última estação” (“você se cobra demais, mesmo assim tanto faz/ nunca é o bastante/ eles sempre exigem mais”) e a releitura afiada de “Mestre Jonas”, clássico enfezado do rock rural de Sá, Rodrix & Guarabira, de 1973.


Fonte da Imagem: http://bit.ly/2yNg8vc 


O grupo formado por Matheus Krempel (vocais e guitarra R), Gustavo Trivela (guitarra L, vocais, piano e órgão), Daniel Bock (baixo), Mick Six (bateria e backing vocals), contou em “Embracing the sun” com as participações especiais de Henrike Baliú (Blind Pigs), Jay Bonme (Máfia Red) e Jhow “O Grande” (Shark Attack).


Fonte da Imagem: http://bit.ly/2ka1dbq 


Comentários

Divulgue seu lançamento